top of page

Bioeconomia: desafios e oportunidades

Conforme já definimos anteriormente, Bioeconomia é toda e qualquer atividade econômica de bioprocessos e bioprodutos envolvendo o uso eficiente de recursos biológicos com o objetivo da sustentabilidade e bem estar. Ao longo dos anos, tem se tornado uma pauta recorrente principalmente em agendas globais, numa busca de recursos sociais, econômicos e públicos no desenvolvimento de estratégias sustentáveis. Mais do que encontrar maneiras de mitigar os problemas relacionados ao meio ambiente, trata-se de utilizar a globalização a nosso favor em busca dos propósitos em comum a serem alcançados.

A Agenda 2030 é um conjunto de objetivos mundiais categorizados e que tem como meta a organização de estratégias mundiais em função do desenvolvimento sustentável, econômico e social. São temas como inclusão social, diminuição de desigualdades e responsabilidade ambiental. Dessa forma, uma saída sendo bastante explorada para o desenvolvimento sustentável é o uso de bioprocessos e bioprodutos em prol desse conjunto de compromissos. A Biodiversidade brasileira projeta boas perspectivas nesse sentido porque aumenta possibilidades de trabalho nesse escopo. A lógica é a seguinte: como o nosso país é altamente diverso em recursos naturais, aumentam as possibilidades de, em pesquisas e desenvolvimento de soluções, algo seja benéfico e traga resultados positivos. Com maiores possibilidades, mais chances de acerto.

Esse é um dos exemplos de possibilidades que a biodiversidade brasileira nos traz, e no artigo de hoje, não só vamos falar sobre as oportunidades nesse contexto, como também alguns dos desafios que encontraremos pela frente.



OPORTUNIDADES


Acredito que um primeiro ponto a ser destacado, o qual muito provavelmente já ficou claro anteriormente, é a diversidade proporcionada pela grande área, principalmente no que diz respeito à diversidade local. Em território nacional, estima-se que a bioeconomia movimentará cerca de US$ 400 milhões e mais de 200 mil empregos nas próximas décadas (dados da Associação Brasileira de Inovação).

Ao longo dos anos, o Brasil tem se posicionado mundialmente como um dos líderes agrícolas e isso tem fortes relações com a bioeconomia nacional. Mesmo em meio à pandemia, os resultados foram positivos por conta do uso da biotecnologia e pelas vantagens proporcionadas pelo vasto e diverso território brasileiro. A substituição de processos químicos e não renováveis por recursos biológicos e renováveis traz benefícios ao país, de forma geral, mas também estabelece o Brasil como referência no setor e no desenvolvimento de tecnologias e soluções bioeconômicas.

Outro fator importantíssimo é a mobilização em rede, caracterizada pelo alinhamento de atores e iniciativas. É uma forma de governança que viabiliza a coordenação de projetos e iniciativas em conjunto. Com ela, é possível visualizar o encaminhamento de projetos em paralelo, o que facilita o desenvolvimento de soluções e ainda acelera o processo.


DESAFIOS


A abrangência bioeconômica, apesar de acolhedora, implica certos pré-requisitos técnicos em relação à exploração desses recursos. É um “mal” necessário, que visa frear pesquisas e práticas exclusivamente exploratórias e que, de certa forma, trazem mais malefícios que benefícios. Há necessidade de regulamentação e legislação específica para cada uma das aplicabilidades bioeconômicas, de forma a registrar o que é permitido e o que não é. Um ponto de atenção mediante o que foi exposto é que a governança para o desenvolvimento de estratégias ambientais torna-se vital para o sucesso ou não dessas metas.

No contexto brasileiro em específico, ainda faltam incentivos no que tange a pesquisa e desenvolvimento de produtos com a utilização de bioinsumos. Há bastante informação sendo produzida nesse sentido, entretanto esses conteúdos não chegam à população em geral. Aqui, faz-se necessário frisar a importância da divulgação científica. Quanto mais luz e voz dermos a ela, maior será a visibilidade, e consequentemente as chances de haver mais encorajamento, bem como trazer mais talentos para esse lado.



E aqui, deve ter surgido aquele questionamento: como eu, aqui onde estou, posso apoiar e ajudar a atingir esses objetivos? Se você tem essa vontade, procure entender a diversidade do local onde você mora e suas potencialidades. O uso da biodiversidade local em prol da economia tem impactos sociais e ambientais diretos e que muitas vezes, podem ser percebidos em curto prazo. Aqui no nordeste, por exemplo, há uma riqueza de flores, folhas, frutos e caules cujos potenciais estão sendo explorados na busca de soluções. E, outras tantas, ainda estão na espera pela descoberta.




REFERÊNCIAS:

Oportunidades e desafios da bioeconomia. Centro de Gestão e Estudos Estratégicos- Ciência, Tecnologia e Inovação. Novembro, 2020.Disponível em:

Como a bioeconomia está impulsionando o agronegócio no Brasil. Sementes Ponto Alto. 19 de fevereiro de 2023. Disponível em:


2 visualizações

Comments


bottom of page