top of page

Empresário e empreendedor: existe diferença?

De início, observava-se somente o uso da palavra empresário/a para determinar a pessoa responsável pela gestão do seu próprio negócio; o chamado dono. Com o tempo, o termo empreendedor foi se popularizando, de forma a se difundir na Língua Portuguesa. Dessa forma, muitas vezes, empresário e empreendedor são interpretados como sinônimos, mesmo não sendo. Hoje, vamos falar sobre as principais diferenças relacionadas aos dois perfis e como surgiram.





Tem-se que o homem iniciou processos comerciais no intuito de troca na época da antiguidade. O sistema era simples: se eu tenho uma determinada habilidade de produção, como por exemplo a agricultura ou pesca, eu e minha família nos especializamos naquela determinada atividade e nos ocupamos somente com uma única tarefa. Dessa forma, a tendência é haver maior produção do que consumo daquele determinado produto e começar estocagem. Como havia famílias especializadas em outras atividades, isso favorecia a troca e o fornecimento de mantimentos que porventura eu não consigo produzir ou que não tenho a habilidade. Assim, o comércio -primitivo- foi tomando forma.


À vista disso, a especialização em determinadas atividades era centralizada nas famílias que desenvolviam aquele produto, e desse modo, aqueles indivíduos pertencentes à mesma linhagem eram conhecidos como ourives, agricultores, entre outros.


 

Com o desenvolvimento comercial, a prática de certos produtos e serviços foi deixando de ser “monopolizada” pelas famílias e se estendeu para além das comunidades, descentralizando o processo. Um grande número de pessoas passou a ser incluído nas transações comerciais e os fluxos foram se tornando cada vez mais complexos. Devida era a complexidade que passou a ser necessário envolver, por exemplo, mais de uma pessoa no processo fabril de um único produto. A partir daí, de forma natural, uma ou mais de uma pessoa se tornavam responsáveis por manter as atividades acontecendo de forma coerente e correta. Eram comerciantes com atribuições de coordenação e supervisão. Em determinado momento, e também através do advento da Revolução Industrial, as pessoas começaram a gerenciar e ser donas dos seus próprios negócios.


E aqui, iniciou-se o uso da palavra “empresário” como profissão. É aquela pessoa envolvida nos processos administrativos e estratégicos da empresa, como tomada de decisão e gestão de forma geral, respondendo pelos impactos positivos e negativos das atividades empresariais. Dessa forma, e principalmente pela sua origem, o principal foco do empresário é a subsistência, comércio e lucro. As atividades comerciais existem, nesse caso, para suprir demandas de produção. Assim, há tendência maior à estabilidade e crescimento empresarial. O grande objetivo é manter o negócio funcionando de forma harmônica e gerando lucros, tendendo a manter rotinas dos fluxos operacionais e gerenciais.


Já o empreendedor está mais relacionado ao perfil gerencial ao invés da ocupação profissional. Empreendedores são pessoas com atitudes e comportamentos que tendem à construção de soluções e entrega de valores. Se preocupam mais com oportunidades de mercado, perfil de clientes, propósito e inovação. São realizadores de ideias e, como independe da profissão, sendo mais relacionados às características comportamentais, nem sempre precisam ser donos e gerenciar seus próprios negócios. São características comuns entre perfis empreendedores ter:

  • Propósito. Empreendedores costumam despender tempo em atividades nas quais acreditam e veem potencial de mudança.

  • Impacto. As principais preocupações dos empreendedores é trazer soluções cujo propósito impacta positivamente o meio em que vivemos. Muitas vezes, esse retorno traz impacto social, tecnológico e sustentável. Pode ser uma pequena mudança, mas que possa ser mensurada.

  • Instabilidade. Conforme organizam seu trabalho mediante as necessidades de clientes e mercado, essas necessidades tendem a mudar com o tempo, causando instabilidades.

  • Planejamento. Planejam ações e gerenciam as tarefas antes, durante e depois da execução para mitigar os problemas que surgem pela instabilidade.


Um ponto de destaque é que é comum uma pessoa ter características empreendedoras e empresariais ao mesmo tempo. Ambos têm capacidade e características fundamentais para o sucesso de uma empresa. Entretanto, empreendedores costumam ter visão de futuro e crescimento mais bem definidos do que empresários, gerenciando seus negócios de forma escalável e focados na otimização de processos. Assim, empreendedores costumam inovar mais, aumentando a probabilidade de sucesso da organização.


E então, você tem perfil mais empreendedor ou empresário?


3 visualizações

Comments


bottom of page